Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Proposta pedagógica
Início do conteúdo da página

PROPOSTA PEDAGÓGICA – SCMB/CMBH

Última atualização em Sexta, 02 de Outubro de 2020, 11h05

Missão

"Missão Institucional do CMBH: planejar, coordenar, controlar e supervisionar a condução da educação preparatória e assistencial e a avaliação do processo ensino‐aprendizagem no Colégio Militar de Belo Horizonte (CMBH)".

 

Missão Síntese

"Planejar, coordenar, controlar e supervisionar o processo ensino‐aprendizagem no CMBH".

 

Visão

"Ser uma Instituição que busca continuamente níveis superiores de qualidade do ensino, apoiada nas tecnologias da informação e das comunicações, alicerçada nos valores e nas tradições do Exército Brasileiro, com ênfase na educação assistencial, voltada para a família militar ".

A fundamentação que norteia a proposta pedagógica dos Colégios Militares (CM) que compõem o Sistema Colégio Militar do Brasil (SCMB) são os princípios gerais e os preceitos contidos no Regulamento dos Colégios Militares (R‐69).

"Os CM são organizações militares (OM) que funcionam como estabelecimentos de ensino (Estb Ens) de educação básica, com a finalidade de atender ao Ensino Preparatório e Assistencial! (art.. 2º). Faz‐se necessário o preciso atendimento das duas vertentes de ensino aqui destacadas ‐ a preparatória e a assistencial ‐ bem como do caráter imprescindível da articulação entre elas, no intuito do melhor cumprimento da missão dos Colégios Militares:

"Os CM subordinam‐se, diretamente, à Diretoria de Educação Preparatória e Assistencial (DEPA) e destinam‐se a: (...)

II ‐ capacitar os alunos para o ingresso em estabelecimentos de ensino militares, com prioridade para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), e para instituições civis de ensino superior". (§ 2º, art 2º do R‐69)

"(...) ministrar a educação básica, nos anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º ano) e no ensino médio" (art. 3º).

A educação preparatória, neste sentido, prepara para a vida. Preparar para a vida é capacitar todos os discentes à busca ética da felicidade e da realização pessoal, entendendo como em aberto esta capacitação. O ensino preparatório deve habilitar todos os alunos ao prosseguimento dos estudos, seja pelo despertar das vocações militares – em especial para o ingresso na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) -, seja pela preparação aos processos seletivos ao ensino superior.

Este ensino deve, portanto, preparar para a sociedade do futuro, marcada pelo avanço tecnológico, pelo mercado de trabalho volátil e competitivo, onde a posse do conhecimento não é suficiente, mas, também, a flexibilidade de seu emprego em conjunção às relações interpessoais.

A educação assistencial remete à gênese e à justificativa do próprio SCMB: a busca do equacionamento das vicissitudes inerentes à profissão militar e das dificuldades impostas à família castrense que impactam o moral da tropa. É neste cenário que se inserem os Colégios Militares, educandários fortemente ancorados nos valores éticos e morais, nos costumes e nas tradições cultuados pelo Exército Brasileiro. É deste somatório que emerge a identidade do Sistema, o diferencial capaz de gerar vínculo, apego e sentimento de pertença aos Colégios. Como estabelecimentos de ensino filiados aos códigos do Exército, os Colégios Militares sustentam‐se sobre os mesmos pilares: a hierarquia e a disciplina. Esta peculiaridade, que os distinguem no todo maior da educação nacional, reforça a imagem que os Colégios Militares vieram lapidando ao longo de mais de cento e vinte anos: sua marca particular.

O SCMB preocupa‐se em formar jovens ativos e criativos, autônomos e autores, providos de competências, habilidades e de valores éticos e morais cultuados pelo Exército Brasileiro, ou seja, indivíduos mais responsáveis, atuantes e transformadores.

É na articulação eficaz da educação preparatória com a educação assistencial, em um ambiente identificado segundo os valores, costumes e tradição do Exército Brasileiro e apoiado sobre as mesmas hierarquia e disciplina que estruturam a Força Terrestre, que os Colégios Militares cumprem sua missão de proporcionar educação básica a seus alunos.

 

Quem somos

1‐ Colégio Militar do Rio de Janeiro – CMRJ

2‐ Colégio Militar de Porto Alegre ‐ CMPA

3‐ Colégio Militar de Fortaleza ‐ CMF

4‐ Colégio Militar de Manaus‐ CMM

5‐ Colégio Militar de Brasília ‐ CMB

6‐ Colégio Militar de Recife ‐ CMR

7‐ Colégio Militar de Salvador ‐ CMS

8‐ Colégio Militar de Belo Horizonte ‐ CMBH

9‐ Colégio Militar de Curitiba ‐ CMC

10‐ Colégio Militar de Juiz de Fora ‐ CMJF

11‐ Colégio Militar de Campo Grande ‐ CMCG

12‐ Colégio Militar de Santa Maria ‐ CMSM

13‐ Colégio Militar de Belém ‐ CMBEL

14‐ Colégio Militar de São Paulo ‐ CMSP

 

Perfil Discente

O discente do Colégio Militar, após vivenciar as ações educacionais desenvolvidas no SCMB, deve apresentar em seu perfil as seguintes habilidades:

- possuir atitudes e incorporar valores familiares, sociais e patrióticos que lhe assegurem um futuro de cidadão patriota, cônscio de seus deveres, direitos e responsabilidades, qualquer que seja o campo profissional de sua referência, civil ou militar;

- possuir as competências e habilidades fundamentais ao prosseguimento dos estudos acadêmicos e não simplesmente conhecimentos supérfluos que se encerrem em si mesmos;

- ser autônomo e compreender o significado das disciplinas, enquanto participante do processo histórico da transformação da sociedade e da cultura, buscando e pesquisando, de forma continuada, informações relevantes;

- possuir atitudes, valores e hábitos saudáveis à vida em sociedade: respeitando os direitos e deveres da pessoa humana, do cidadão patriota, da família, dos grupos sociais, do estado e da nação brasileira;

- posicionar-se criticamente diante da realidade, assumindo responsabilidades sociais; e participando produtivamente da sociedade, no exercício responsável de sua futura atividade profissional;

- ter despertada a sua vocação para a carreira militar.

 

Princípios Metodológicos

O ensino por competências tem seus alicerces na concepção de ensino construtivista. Segundo Loch (1995), a ênfase repousa no papel central do sujeito, na produção do seu saber e não apresenta metodologia ou sugestões de técnicas de como ensinar, uma vez que a preocupação (científica) é com a aprendizagem – como o indivíduo aprende. As bases construtivistas postulam que a aprendizagem começa com uma dificuldade, com o problema e com a necessidade de resolvê‐lo.

(...)

O foco, na vertente sócio construtivista, reside na aprendizagem. Os principais teóricos que se alinham a esse pressuposto e em cujas bases a proposta para o SCMB é construída são Piaget, Vygotsky, Wallon e Ausubel.

Com base nesta abordagem, a ação recebe mais ênfase, na medida em que a escola vai partir das motivações e conhecimentos prévios dos alunos, em detrimento de conceitos previamente estabelecidos, para fazê‐los encontrar um significado nos conteúdos. A aprendizagem e a aplicabilidade do conhecimento ficam mais claras para o aluno que passa a se sentir mais motivado ao identificar a finalidade do que está aprendendo.

O Ensino por Competências, nesse sentido, promove o repensar das práticas educacionais de modo a contribuir para a formação do cidadão por meio do desenvolvimento de quatro grandes pilares, segundo Delors (2010): aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser.

Para se compreender a proposta metodológica do Ensino por Competências no âmbito dos Colégios Militares, faz‐se necessário reconhecer os conceitos‐chave e suas vinculações.

 

Competência

Com base em Perrenoud (2004), este conceito no SCMB deve ser entendido como a faculdade de mobilização de um conjunto de recursos cognitivos como saberes, habilidades e informações para solucionar com pertinência e eficácia uma série de situações.

 

Eixos Cognitivos

A implantação do ensino por competências no SCMB também foi balizada pelos documentos oficiais ‐ Parâmetros Curriculares Nacionais e Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional (PCN e LDBEN) ‐ que já se encontram neste formato. Os parâmetros descrevem o trabalho com as competências apontando sempre para o desenvolvimento do que ele chama de arquicompetências, o desenvolvimento da leitura e da escrita em todas as disciplinas, assim como para um trabalho inter/multi e transdisciplinar e contextualizado. Toda atividade metodológica é baseada sobre cinco eixos cognitivos:

 

  1. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica.
  2. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico‐geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.
  3. Enfrentar situações‐problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações‐problema.
  4. Construir argumentação (CA): relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente.
  5. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

 

Referência

Projeto Pedagógico do Sistema Colégio Militar do Brasil, edição 2019 (PP/SCMB/2019).

 

Fim do conteúdo da página